Quando a Bíblia vira seriado

Certamente você já ouviu falar na série “The Bible”, do History Channel. Mas se arriscou a vê-la? Explosiva em sua estreia, teve 13 milhões de espectadores só para o primeiro capítulo. Foi transmitida em 24 países, em sua única temporada de 10 capítulos. E o que mais dizer dessa série, que se diz uma adaptação do livro sagrado, campeã de audiência em 2013?

O que é? Uma minissérie épica americana, transmitida pelo History Channel, e produzida por Roma Downey e Mark Burnett, contando a história do mundo baseada na Bíblia. A ideia dos produtores era trazer um produto atraente aos jovens, que fizesse essa geração se interessar novamente pela Bíblia.

Como é? O primeiro capítulo começa com Noé já na arca, contando aos seus descendentes a história da Criação do mundo, e os 9 capítulos seguintes se estendem contando a história bíblica até os apóstolos depois de Cristo, incluindo Paulo. Com atores nada populares, a intenção era chamar atenção apenas para o enredo da série. Mas se você espera algo que fuja da linha “cinema bíblico”, todo em tons pastéis e com efeitos especiais não tão convincentes assim, sinto informar que ainda não chegamos a esse ponto. Mas a atuação chega bem perto do que vemos de nossas séries favoritas. No quesito fidelidade bíblica, a série é tida como adaptação, e todos nós sabemos o que isso significa, certo? Não vi nenhum absurdo teológico, mas para um estudioso da Bíblia, alguns detalhes de sequência, tempo/espaço, falas de personagem deixam muito a desejar quando comparados às escrituras sagradas. É o mesmo desprazer de ler um livro e depois assistir sua adaptação nos cinemas. Mas ainda é possível apreciar de um ponto de vista artístico.

Repercussão? A estreia da minissérie na TV americana foi recorde de audiência. O History é um canal de TV a cabo, e impressionantemente a audiência para o primeiro capítulo alcançou números de TV aberta – 13,1 milhões de telespectadores. Em menos de 15 dias, 68 milhões de norte-americanos já haviam assistido a série, que acabou sendo exibida em pelo menos 24 países, incluindo o Brasil, pela Rede Record. Foi indicada para três premiações no Emmy: de melhor minissérie, edição e mixagem de som. O ano de 2013, especificamente o segundo semestre, foi considerado o retorno do cinema religioso, tanto com a divulgação do filme “Noé”, que estreou só esse ano, quanto com a série e o filme inspirado nela, “Son Of God”, que conta a vida de Jesus. Ainda há a promessa de a NBC exibir a continuação da série, “AD: Beyond The Bible”, onde a história se situa depois de Cristo, no início do cristianismo. E temos o remake de Ben-Hur, um filme histórico que traz referências cristãs. A Bíblia realmente ficou em foco no cinema 2013, mas talvez não da maneira que gostaríamos de ver.

A série é realmente legal. Mas ainda sonho com o dia em que os produtores irão usar o verdadeiro roteiro, e deixar seus preconceitos de lado. Se for para usar a Bíblia, que não se tire nem um til, nem se adicione uma vírgula, mas que seja como está escrito.

By | 2016-11-06T18:21:16+00:00 maio 2nd, 2014|blog| Comments