Ser Guiado: O Melhor Caminho

Quando criança sempre estudei em escolas muito distantes de onde morava. Meu caminho para escola era na famosa perua escolar. Quando eu completei uns 12 anos, minha família resolveu morar na praia… Que beleza, não? Fomos parar em Peruíbe e a casa estava exatamente 2 praças de distância de uma ótima escola. Logo, me matricularam por lá.

Porém, morar perto assim da escola me trouxe um pequeno desconforto de percurso… Minha mãe sempre confiou nas peruas que me buscavam e me levavam bem nas portas de casa e da escola. Mas ela não confiava em mim mesma indo e voltando de lá… Por isso, insistia em me acompanhar todo o dia até a escola e me buscar no horário da saída. Eu achava isso um saco. Poxa, eu já era uma mocinha de quase 13 anos! Será que eu poderia me perder em duas ruas? E meus amigos da escola que moravam longe iam sozinhos pra escola! A pé ou de bicicleta. Até mais novos do que eu! Por isso alguns riam da minha cara… E eu tinha vergonha de parecer frágil, correr perigo. Parecer criança. Eu não entendia a necessidade de tanta proteção.

Foi quando o verão passou, e a cidade turística começou a ficar mais deserta que aconteceu. Meu colega teve a bike roubada. E com ele, vieram muito mais casos. Bikes, celulares, dinheiro do lanche, e até um pessoalzinho arruaceiro que comprava briga à toa. E pra, no mínimo, você se livrar desses caras precisava ser conhecido na vizinhança… Ou conhecer bem quem morava em seu bairro. Minha família havia acabado de se mudar, não conhecia ninguém. Qualquer rosto era rosto novo. E minha mãe tinha razão em se preocupar.

Seguir a Cristo nesse mundo também dá vergonha. É sim pagação de mico. Depender de um Deus? Tu é criança por acaso?! Mente fraca, não sabe ser independente!

A maioria das pessoas cresce nesse mundo já se familiarizando com a vizinhança e tudo o que ela oferece. Sabem o que existe depois de cada esquina e se acostumaram com os perigos. Se acostumaram a ter seus bens valiosos roubados e se entregam a qualquer intriga desnecessária. Mas cristãos, nesse mundo, são estrangeiros. Gente de fora que não conhece os atalhos da cidade, e prefere não se perder nos becos escuros. Mas ainda precisamos caminhar. E a melhor maneira é segurar a mão do Pai.

Obediência não é opressão. É proteção. E como diria minha mãe, é melhor pagar mico buscando alguém pra te orientar do que pagar o pato em se perder.

By | 2014-06-06T22:24:41+00:00 abril 3rd, 2014|blog| Comments